A rede de proxenetismo: somas, drogas e o passado do jovem de 25 anos

Os detalhes do funcionamento da rede de proxenetismo que contrabandeava os menores eram conhecidos. Descobriu-se que um total de sete meninas foram vítimas dele nos últimos oito meses.

Tudo começou no verão de 2023, quando um homem de 25 anos que supostamente desempenhou um papel fundamental na quadrilha começou a “pescar” menores. Ele conseguiu se aproximar deles e induzir as mulheres à prostituição com pagamento fácil.

Outros três tiveram funções específicas na localidade. Um homem de 25 anos e um homem de 54, que alegadamente tiveram um caso com a jovem de 25, fingiram ser taxistas e levaram as meninas para hotéis. Ao mesmo tempo, uma jovem de 21 anos pegou parte do dinheiro que ganhou e forçou a menina à prostituição.

Todos os quatro detidos foram acusados ​​uma vez e consecutivamente do crime de tráfico de seres humanos em série, e outros seis foram incluídos nos autos apresentados pelas autoridades.

Vantagens redondas

Os clientes contactaram uma mulher de 25 anos que marcava consultas com menores em hotéis localizados no centro de Atenas e em Glyfada. Pagavam entre 200 e 400 euros para atender menores.

Deste valor, dependendo do salário, um jovem de 25 anos recebia entre 50 e 100 euros. E, em alguns casos, em vez de dinheiro, fornecia drogas às suas vítimas, especialmente cocaína.

Ao mesmo tempo, o jovem de 25 anos já teve encontros românticos no passado

Existem outros seis atores

Ao mesmo tempo, os policiais, aproveitando tanto o resultado da investigação quanto o material que chegou a seu poder após a prisão, emitiram mandados para mais seis pessoas.

Estes são os clientes fiéis de meninas menores cujos dados estão sendo cruzados e pesquisados.

READ  300 mil preservativos serão distribuídos na Vila Olímpica

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *