Assessor Técnico Temporário: O que falta na investigação, o que ele diz sobre a explosão

Nas mãos do investigador de recursos está o relatório final de um consultor técnico nomeado pelos familiares das vítimas do acidente de Tempe, no qual Vassilis Kokotsakis identifica erros e deficiências nas investigações.

Segundo ele, o especialista está tentando explicar a explosão após a colisão dos trens no acidente de Tempe. O óleo de silicone – atribuíram isso a especialistas nomeados – não apresentou comportamento consistente com as características desta explosão em particular, diz Vassilis Kokotsakis, de acordo com a ERT.

Tal explosão é causada pela detecção de gases liquefeitos ou substâncias e compostos (benzeno, tolueno, xileno) de alta viscosidade (combustíveis, solventes, gases liquefeitos), ressalta.

Com efeito, o perito constata que quatro bombeiros sofreram queimaduras químicas que não entraram em contacto com as chamas. “Os bombeiros não entraram em contato direto com as chamas, mas sim com resíduos de extintores (materiais deles trazidos) e penetraram em seus uniformes, causando-lhes esse tipo de lesão”, disse um especialista das famílias das vítimas do acidente. Diz em Tempe.

Vasilis Kokotsakis ainda está em sua exposição Detecta erros e omissões em pesquisas. Em especial, ele destaca que o local da colisão foi “contaminado” e alterado, pois quase duas coroas foram preenchidas com concreto e brita.

Além disso, o lixo não é armazenado adequadamente Os contêineres do trem comercial e as cantinas do trem de passageiros não foram preservados porque os funcionários não colheram amostras da chapa empoeirada. Por esta razão, ele recomenda colher mais amostras.

Segundo um relatório da ERT, os familiares das vítimas insistem em perguntar às autoridades sobre o paradeiro dos contentores dos comboios comerciais, que aparecem no vídeo, mas não em Kouluri.

READ  Wall Street: maior liquidação desde o início de 2024

Com informações da ERT

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *